ORIGEM

PELO ALENTEJO. PELA TRADIÇÃO. PELO VINHO.

DAS PROFUNDEZAS DO ALENTEJO

Reza a lenda que Santa Luzia apareceu a uns pastorinhos na região de Pias, Serpa, junto a uma oliveira e mandou erguer uma ermida para a sua invocação. O nome Monte da Capela surge desta ermida construída no séc. XVI nos seus terrenos e em memória à padroeira que ainda é inspiradora para as festividades de toda a região.

A tradição da história repete-se no vinho. O Monte da Capela foi o resultado do engenho, sabedoria e experiência acumulada dos seus sócios. A liderança das maiores empresas da fileira do vinho e da promoção do Alentejo, foi inspiradora para o desenvolvimento de um projeto pessoal que aproveitou o melhor do terroir de Pias e das castas alentejanas para a criação de vinhos singulares na concentração da cor e aromas.

AUTENTICIDADE

PIAS, ALENTEJO

O Monte da Capela está localizado na região vitivinícola do Alentejo. Encontra-se situado na sub-região de Moura, concretamente em Pias, concelho de Serpa.

Moura apresenta características de acentuada continentalidade. O clima caracteriza-se pelos elevados valores das temperaturas máximas, pela reduzida pluviosidade (500 mm/ano) e pelas elevadas amplitudes térmicas. Os valores da insolação ultrapassam as 3.000 horas/ano. A insolação é muito elevada particularmente no trimestre que antecede as vindimas, contribuindo para a perfeita maturação das uvas e qualidade dos vinhos.

Esta sub-região abrange partes dos concelhos de Moura e Serpa. De referir dois núcleos de produção de vinho: um, junto a Moura e outro, com muito prestígio, situado próximo de Pias, concelho de Serpa. Fica situada no Baixo Alentejo interior, na margem esquerda do Guadiana, junto à fronteira com Espanha.

REGIÃO